Publicado em 22 de julho de 2020 às 10:27

Por que sua empresa deve investir em cibersegurança?

Relatório da Cisco aponta que PMEs estão atentas à cibersegurança, investindo em tecnologias e pessoas para evitar ataques.

O tema cibersegurança parece estar associado somente às grandes organizações. Mas, pequenas e médias empresas (PMEs) também estão atentas ao possíveis ataques e invasões aos sistemas, ainda mais em um período de pandemia ou recessão.

Tanto que o relatório “2020 Big Security in a Small Business World”, da Cisco, aborda os mitos sobre cibersegurança em PMEs. Como mostra a pesquisa, essas empresas sabem da importância dos investimentos para proteger seus ativos, mas sofrem “cybersplaining” de fornecedores.

Cybersplaining” é quando um fornecedor não mapeia o nível de maturidade sobre segurança de uma PME, deixando de fazer um papel consultivo para prestar um serviço explicativo.

Se compararmos PMEs com grandes organizações, a realidade entre as duas não é distante. Um exemplo é o tempo de inatividade e de recuperação dessas empresas após um ataque cibernético.

Veja só este dado. Enquanto 24% das empresas de pequeno e médio porte enfrentaram um período de mais de oito horas de inatividade devido à violação de segurança mais grave, esse número sobe para 31% quando se trata das companhias de grande porte.

Outro destaque do relatório da Cisco é a melhoria significativa que PMEs fizeram na segurança. Em 2018, 40% dessas empresas ficaram mais de oito horas inativas após um ataque cibernético em seus negócios.

Isso só mostra que PMEs levam a segurança cibernética a sério dentro de um planejamento estratégico. Entretanto, elas encaram novos desafios com a pandemia. Por exemplo, com o crescimento do trabalho remoto, é preciso ampliar as medidas de proteção dos dados.

Para algumas PMEs, esse foi o momento de adotar a computação em nuvem, aponta a Cisco. Já outras esperam automatizar alguns processos para prever ameaças e reduzir o tempo de inatividade dos serviços em caso de um ataque bem-sucedido.

Quais os principais ataques às PMEs

Ainda hoje, ransomware é a causa principal de interrupção dos serviços em PMEs. Esse tipo de ameaça gerou mais de 24 horas de sistema inativo somente em 2019.

A segunda ameaça para pequenas e médias empresas é o roubo de credenciais. Só em 2019, incidentes do tipo causou, em média, 17 a 24 horas de inatividade. Phishing, malware e mobile malware completam o top 5.

Como garantir a segurança do seu negócio?

Se você está preocupado com o fato de sua infraestrutura estar desatualizada, há alguns aspectos a serem considerados. O mais crítico é garantir que seu sistema tenha flexibilidade para lidar com as mudanças, principalmente com as trazidas pela pandemia.

Ou seja, ele deve fornecer automação e análise integradas que auxiliam no gerenciamento de políticas e dispositivos, detectando ameaças desconhecidas e coordenando respostas e mudanças de políticas.

Neste momento, uma parceria com empresas especializadas pode te ajudar a garantir as melhores práticas de cibersegurança, enquanto os profissionais de TI podem focar seus esforços em organizar a infraestrutura para garantir o trabalho remoto da equipe.

Conte com a Ensite para isso, entre em contato: ensite.com.br